Etiqueta RFID: descubra o que é, para que serve e como aplicar no seu negócio

Etiqueta RFID: descubra o que é, para que serve e como aplicar no seu negócio

            Já pensou se fosse possível armazenar todas as informações do seu produto em um só lugar e podendo acessá-las de qualquer lugar? Isso já é possível com a etiqueta RFID, uma nova tecnologia que chegou para revolucionar o mercado. Ficou curioso? Então continue lendo este conteúdo!

Afinal, o que é a etiqueta RFID?

             Radio Frequency Identification (Identificação por radiofrequência) ou RFID, como é mais conhecido, é uma forma de reconhecimento de dados via sinal de rádio, que tem a capacidade de rastrear e armazenar informações de um determinado produto à distância. Essa tecnologia tem se tornado muito interessante para diversos setores já que, a etiqueta RFID abre um leque de possibilidades no que diz respeito à rastreabilidade e armazenamento de dados.

História: como surgiu a etiqueta RFID?

            Assim como muitas das tecnologias atuais, a etiqueta RFID tem origem no período das grandes guerras mundiais, mais especificamente em 1935. Foi nesta época que um físico escocês, Sir Robert Alexander Watson-Watt descobriu a função dos radares que seriam utilizados nos anos seguintes pelos ingleses, alemães, americanos e japoneses durante a Segunda Guerra Mundial. Esses radares tinham como função avisar a localização de aviões quando eles ainda se encontravam distantes, mas havia um grande problema para identificar se esses aviões faziam parte das frotas aliadas ou inimigas, resultando em muitas mortes equivocadas.

            Diante dessa situação, o exército alemão começou a perceber que caso seus pilotos girassem os aviões quando estivessem a caminho da base, essa manobra conseguiria alterar o sinal de rádio emitido ao radar. Essa pequena manobra para alterar o sinal possibilitou que os técnicos responsáveis conseguissem identificar se a aeronave em questão fazia parte ou não da frota alemã.

            Junto a sua equipe, o físico escocês, conseguiu desenvolver um projeto secreto denominado IFF – Identify Friend or Foe (Identificador de amigo ou inimigo). Como o nome do projeto já diz, ele tinha a função de identificar as aeronaves pertencentes ao exército inglês e aliados ou se pertenciam ao exército inimigo.

            Esse foi o primeiro identificador de aeronaves que se tem notícia na história. Com esse projeto, cada aeronave inglesa recebeu um transmissor capaz de detectar sinais através das estações de radar em solo, que recebiam um sinal de resposta capaz de identificar a aeronave amiga.

Os radares da 2ª Guerra Mundial e a etiqueta RFID

            Já nas décadas de 1950 e 1960, cientistas americanos, japoneses e europeus mostraram que através da radiofrequência, objetos poderiam ser identificados à distância. Foi através dessa tecnologia que as etiquetas de vigilância tão comuns em lojas foram desenvolvidas para ativar um alarme sonoro contra furtos, por exemplo.

            Partindo do mesmo princípio dos radares utilizados durante a Segunda Guerra Mundial, a etiquetas RFID foi criada. Assim como os radares, nelas um sinal é enviado para um transponder que recebe a radiofrequência e transmite as ondas com um sinal próprio.

            Em 1980 o MIT (Massachusetts Institute of Technology) iniciou pesquisas para que as tecnologias baseadas em radiofrequência fossem aplicadas no rastreamento e localização de produtos. Assim, se originou o Código Eletrônico de Produtos ou EPC (Electronic Product Code), que conseguiu definir uma arquitetura padrão que fosse capaz de identificar produtos que utilizassem sinais de radiofrequência. Ao contrário do código de barras, que usa feixe de luz no processo de identificação, esse sistema utiliza radiofrequência e mostrou ter um grau maior de assertividade.

Etiqueta RFID e como ela revolucionou o mundo

            A partir dessas descobertas do século passado, cientistas e empresas viram o quanto essa tecnologia era promissora e começaram a pesquisar a sua usabilidade. A tecnologia EPC desenvolvida pelo MIT mostrou que era possível agilizar processos, aumentar a disponibilização de informações e rastrear um produto individualmente durante toda a cadeia de suprimentos.

            Com isso, a EPCglobal foi fundada, uma organização sem fins lucrativos que incentiva e administra pesquisas para a tecnologia RFID. Entre suas principais atuações, está a iniciativa para padronizar a etiquetas RFID no gerenciamento de cadeia de suprimentos. Ela cria padrões de protocolos de comunicação entre as etiquetas RFID, leitoras, computadores e internet a fim de obter uma comunicação globalizada e centralizada sobre determinado produto.

Tipos de etiqueta RFID e suas aplicações

            Como visto acima, a etiqueta RFID permite que informações de identificação sejam captadas e armazenadas através de dispositivos capazes de emitir um sinal de radiofrequência para leitores que conseguem captar esse sinal e identificar esse número único de produto.

            A etiqueta RFID pode ser aplicada em diversos segmentos, podendo ser mais ou menos úteis de acordo com a área. O fato é que essa tecnologia não se limita a apenas uma identificação de produto como ocorre com o código de barras, ela pode ser útil para evitar roubos e furtos, gerenciamento de inventários, simplificação dos processos e a maior eficiência no setor logístico.

            Com o mundo cada vez mais conectado e tecnológico, é com certeza um modelo de etiqueta que veio para ficar e revolucionar o mercado. Vamos conhecer um pouco mais sobre os tipos de etiquetas RFID existentes.

Tipos de etiqueta RFID

  • Etiquetas passivas: como o próprio nome já diz, esse tipo de etiqueta apenas recebe a ação. Aplicando na prática, as etiquetas passivas apenas emitem um sinal que pode ser captado pelo leitor de radiofrequência. Normalmente suas informações vêm gravadas de fábrica, emitindo apenas essa única informação.
  • Etiquetas ativas: diferentemente da etiqueta passiva, ativa realiza a ação. São mais sofisticadas e por isso mais caras. Possui bateria própria que permite a transmissão do sinal a distâncias razoáveis. Também carregam uma pequena memória RAM capaz de armazenar informações e são produzidas para ter resistência a ambientes hostis.
etiqueta RFID

Aplicações para etiqueta RFID

            Na prática, tudo o que faz o uso do código de barras pode ser substituído pela etiqueta RFID, que aos poucos está ganhando espaço no mercado. Devido a variedade de aplicações possíveis para a etiqueta ela pode ser aplicada nos mais diferentes setores, mas possui muitas vantagens para alguns especificamente, como:

  • Gestão da cadeia logística;
  • Controle de documentos;
  • Controle de acesso;
  • Segurança e patrimônio;
  • Linhas de montagem industriais;
  • Identificação animal;
  • Rastreabilidade na origem de produtos;
  • Gestão de estoque;
  • Pagamento de pedágios.

            É importante destacar que a aplicação da etiqueta RFID nesses setores dispensam grande parte do demorado trabalho manual que as áreas exigem, facilitando todo o processo e diminuindo os custos a longo prazo.

Vantagens e desvantagens da etiqueta RFID

            A etiqueta RFID possui muitas vantagens, como você viu durante este artigo. Porém, assim como tudo, ela também possui algumas pequenas desvantagens que podem pesar na hora de optar ou não por esse sistema na sua empresa. Separamos algumas das principais vantagens e desvantagens para te ajudar a entender e decidir.

Vantagens

  • Não é necessário o contato visual próximo com a leitora, apenas o sinal de radiofrequência;
  • Leitura simultânea de etiquetas;
  • Rapidez para ler os produtos;
  • Alta capacidade de armazenamento. Hoje em dia, cada etiqueta RFID já é capaz armazenar 2 KB de dados, o suficiente para os dados básicos do produto;
  • Armazenamento, leitura, recepção e envio de dados;
  • Alta durabilidade das etiquetas
  • Grande possibilidade de reutilização
  • Diminuição de erros cometidos no serviço manual, como erro de estoque;
  • Informações precisas de forma rápida;
  • Armazenamento e processo de picking e packing agilizados;
  • Mais facilidade e precisão na separação de itens;
  • No setor de produtos, melhora no processo de reabastecimento e facilidade na eliminação de produtos fora da validade;
  • Previne roubo e falsificação de mercadorias;
  • Otimização dos processos logísticos e de gestão para que as empresas operem com mais agilidade e assertividade e menor custo.

Desvantagens

  • Custo elevado por etiqueta: como a tecnologia possui um valor um pouco mais elevado, normalmente é utilizada em produtos de maior valor agregado, já que atualmente é inviável para ser utilizada em determinados segmentos;
  • Dependendo do ambiente pode sofrer interferência que prejudicam o desempenho da etiqueta;
  • Elevado custo de implementação: a estrutura para a implementação de etiquetas RFID exige antenas, leitoras, sistemas de comunicação, filtragem de informação e armazenamento de dados,
  • Alcance das antenas: dependendo do alcance da antena, da frequência utilizada e da existência ou não de barreiras, a etiqueta pode sofrer algum tipo de interferência.

            Como vimos, apesar das inúmeras vantagens que a etiqueta RFID carrega, as poucas, mas existentes desvantagens podem pesar muito na hora da escolha. Por isso, o ideal é avaliar o cenário e o mercado onde a sua empresa está inserida e fazer uma análise a fundo de quais vantagens e desvantagens a etiqueta traria, tanto em questões econômicas quanto em questões processuais. Apesar do elevado custo, muitas vezes, a longo prazo, esse se torna um excelente investimento que irá economizar gastos futuros.

            Caso você enxergue na empresa um grande potencial para a implementação da etiqueta RFID e não sabe por onde começar, não se preocupe que também separamos algumas dicas para te ajudar!

Quero implementar a etiqueta RFID na minha empresa: por onde começo?

            Para começar, toda mudança exige muito esforço e planejamento e com a etiqueta RFID isso não seria diferente. O ideal é fazer a mudança de forma gradual e com preparação de toda a equipe para que haja a menor quantidade de problemas. Separamos alguns passos para te guiar:

  • Visão executiva: é preciso avaliar a necessidade e viabilidade de um sistema para outro antes de começar. Toda essa avaliação deve ser fundamentada com dados que comprovem a real necessidade e validem a mudança;
  • Análise/desenho dos processos: já que a implementação da etiqueta RFID é uma melhoria de processos, é preciso desenhá-lo muito bem para que seja uma mudança de sucesso. Para isso, envolva as diversas áreas da sua empresa: gestão, TI, manutenção, usuários finais e etc para mapear todos os fluxos onde a etiqueta pode ser aplicada e como será aplicada;
  • Documentos e requisitos necessários para a mudança: redija um documento especificando tudo o que será necessário para a mudança, como: softwares, hardwares, middlewares, preocupações regulatórias, segurança, proteção, manutenção e claro, as etiquetas RFID. Esse documento também é importante para mapear todos os gastos envolvidos;
  • Análise do local: importante para planejar a instalação das antenas e a possível interferência de agentes externos que podem sofrer, para assim determinar a melhor arquitetura de rede;
  • Combine tecnologias: escolha, desenvolva e aplique outra tecnologia para o caso de uma delas falhar ou caso haja uma necessidade específica para parte do processo;
  • Escolha a melhor opção de etiqueta RFID: como já vimos, elas existem de várias formas. Por isso, escolha a que se aplique melhor ao seu projeto;
  • Dados onboard: a partir da sua escolha de etiquetas, escolha a melhor forma para a coleta, armazenamento e geração de dados;
  • Invista no cabeamento: invista em um bom projeto de instalação de cabeamentos para garantir um bom desempenho e evitar interferências;
  • Integração: feito tudo isso, chegou a hora de integrar todos os sistemas e usufruir do seu investimento!

Se ainda tiver alguma dúvida sobre etiqueta RFID, entre em contato com a Light Print. Somos especialistas em etiquetas técnicas e estamos à disposição para sanar todas as suas dúvidas!

Deixe uma resposta

Fechar Menu